Percorrer o caminho é fazer escolhas, qual você vai trilhar?

A incompletudade das relações
junho 14, 2016
18 de Maio: Faça Bonito
maio 18, 2017

Em muitos momentos da vida precisamos tomar decisões, sejam elas pequenas e cotidianas, sejam elas grandes e especiais. Ocorre que fazer escolhas nem sempre é fácil, muitas vezes é bem difícil e até mesmo sofrido. Algumas angústias podem passar pela nossa cabeça, como por exemplo, o desejo de ter garantias de resultados.  Gostaríamos de fazer a escolha certa, aquela sem erros, aquela onde tudo dará certo. Mas essa previsibilidade não temos.

Então é necessário arriscar e decidir! Estamos frente a outro desafio, abrir mão do que não escolhemos. Abrir mão daquilo que ficará para trás. Essa tarefa é bem trabalhosa e nos ensina a conviver com algumas perdas. Sim, ganhar virá sempre junto do perder. Nunca uma coisa acontecerá sem a outra.

Contudo viver sempre em dúvida pode ter um custo bem alto, ficar em cima do muro e nada acontecer. Podemos cultivar uma ideia falsa de nada perder e de estar ganhando as duas opções não escolhidas. Porém isso é uma ilusão, estamos nos enganando pensando assim. Não escolher é uma postergação de uma decisão como se estivéssemos evitando as perdas e só ganhando. Na verdade, estamos parados no meio do caminho. Não andamos, nada evolui, nada acontece!

Desta forma ande para frente, percorra o seu caminho, faça suas escolhas, certamente elas estarão relacionadas com sua história de vida. Aprenda a sofrer menos com as perdas e procure ajuda profissional, caso este processo esteja sendo obstáculo para suas conquistas ou qualidade de vida. Um psicólogo pode ajudar você!

Para inspirar seu processo de escolha, ofereço este poema “A estrada não trilhada” do autor Robert Frost

 

A ESTRADA NÃO TRILHADA

Uma estrada se bifurcava em um bosque dourado,

Lamentei não poder trilhar as duas

E ser o mesmo viajante.

Ali permaneci por um tempo

E olhei até onde a vista pode alcançar,

Até a curva, onde havia apenas arbustos.

 

Então, optei pela outra, igualmente bela,

E tinha, talvez, um aspecto melhor,

Porque era verdejante e convidativa;

Embora seus peregrinos a houvessem

Deixado quase igual à outra.

 

 

E naquela manhã as duas pareciam iguais

E nenhuma folha se havia projectado pelo caminhar.

Ah, então deixei a primeira para outro dia!

Sabendo, porém, como uma estrada leva a outras,

Senti dúvidas se algum dia voltaria a ela.

 

Com um suspiro direi isto

Em algum lugar, dentro de alguns anos:

Uma estrada se bifurcava perto de um bosque, e eu –

Eu optei pela menos trilhada …

E isto fez toda a diferença.

Autor: Robert Frost (1874-1963)

http://www.nicoladavid.com/literatura/robert-frost-1874-1963/a-estrada-no-trilhada

 

Cristiane de Paula Vieira

Psicóloga CRP 07/08159

Compartilhe com um amigo