Depressão: o que você precisa saber!

E quando o silêncio aparece na sessão? “O que vou falar hoje?”
junho 27, 2017
Considerações sobre o Filme: “O Mínimo para Viver”
dezembro 7, 2017

Em conversa com a psicóloga da Clínica Ana Maria Berwig, desenvolvemos alguns pontos importantes a serem discutidos sobre a depressão. Agrupamos em perguntas e respostas para que você possa esclarecer suas dúvidas.

Este assunto é de grande relevância, pois a depressão afeta 322 milhões de pessoas no mundo, segundo dados divulgados pela Organização Mundial da Saúde (OMS). Em 10 anos, de 2005 a 2015, esse número cresceu 18,4%. A prevalência do transtorno na população mundial é de 4,4%.

Já no Brasil, 5,8% da população sofre com esse problema, que afeta um total de 11,5 milhões de brasileiros. Segundo os dados da OMS, o Brasil é o país com maior prevalência de depressão da América Latina e o segundo com maior prevalência nas Américas, ficando atrás somente dos Estados Unidos, que têm 5,9% de depressivos.

 

Será que estou com depressão?

          Sem dúvidas a depressão é algo assustador e responsável por causar muito desconforto, pois é conhecida por seus sintomas e a maneira como pode afetar o cotidiano dos indivíduos.

Muitas vezes o sofrimento vivenciado pelas pessoas não são compreendidos pelos demais, propiciando maiores dificuldades para o individuo deprimido buscar auxilio, demonstrando não obter amparo, empatia e compreensão de seus familiares e de seu meio social, podendo determinar uma piora de seu diagnóstico. Por isso, devemos buscar ajuda o quanto antes, pois só assim poderemos ter um melhor prognóstico.

Como devo ajudar um amigo ou familiar com depressão?

Deve-se entender que a depressão é algo que tende a ser vivido pela pessoa de modo intenso e constante. É importante considerarmos o fato de que o individuo deprimido não terá vontade de sair de casa para possíveis divertimentos, por esse motivo é necessário evitar imposições para distrações, pois não obterá bons resultados. Sua melhor contribuição será seu entendimento da atual situação, além de ressaltar a importância da ajuda de um profissional, de um tratamento psicoterápico.

Quais são os sintomas que devo me preocupar?

O diagnóstico será confirmado se a pessoa estiver apresentando dois ou mais sintomas listados abaixo, no período mínimo de duas semanas.

** Perda de interesse nas atividades realizadas ao longo do dia;

** Perda ou ganho significativo de peso;

** Insônia ou sonolência excessiva;

** Fadiga ou perda de energia quase todos os dias;

** Agitação ou retardo nos movimentos corporais;

** Capacidade diminuída para pensar ou se concentrar;

** Humor deprimido na maior parte do dia;

** Pensamentos recorrentes de morte, ideação suicida.

(DSM-V)

Para concluir o diagnóstico de depressão devem-se considerar os fatores sociais, biológicos e psicológicos. Pessoas mais propensas a desenvolverem quadros depressivos são aquelas que vivenciaram momentos de perda, estresse, traumas e aquelas com predisposição genética. Vale lembrar que outras patologias podem desencadear a depressão, como: doenças cardiovasculares.

A depressão pode aparecer na adolescência?

Com certeza! A adolescência é um período muito conhecido pelas suas alterações de humor, conturbações e diferentes reações diante as mais diversas situações. É uma etapa da vida marcada por muitas transformações. No entanto não devemos descartar a possibilidade da depressão na adolescência, pois é com muita frequência que os jovens acabam por sofrer desse mal. Os sintomas são semelhantes aos dos adultos, porém os adolescentes não costumam demonstrar estarem deprimidos, mas em contrapartida apresentam maior irritabilidade e instabilidade, podendo ter momentos de explosão e dificuldades de concentração.

Existe diferença para depressão e luto?

Sim! A depressão é uma patologia vivenciada pela pessoa de modo intenso e continuo, com sentimentos apáticos e de baixa autoestima, já, o individuo que acaba por perder um ente querido, apresenta sintomas semelhantes à depressão, o que nessas situações seria compreensível, no entanto, o luto pode tornar-se patológico quando permanecer por um longo período desde a perda.

Psicoterapia é uma boa forma de ajuda?

Sem dúvidas! A psicoterapia ofertará um espaço de escuta e acolhimento para os indivíduos em estados depressivos, buscando um melhor entendimento de seu sofrimento e de sua pessoa como um todo, para assim possibilitar novas mudanças e melhor qualidade de vida. Lembrando que a psicoterapia poderá ajudar também crianças e adolescentes.

*Depressão é algo sério, vivenciado a cada dia por milhares de mães, pais, crianças e adolescentes, e pode sim levar à morte. Invista em sua saúde mental, faça psicoterapia.

Compartilhe com um amigo